segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Presa no passado

Não julgues que estou diferente. Não te deixes enganar pelas aparências. Só o tempo seguiu em frente. Arrastou-me com ele, é certo, como o espelho me lembra de cada vez que nos cruzamos, porém eu continuo lá. Nesse tempo que eu pensava ser nosso, mas que era, que é, afinal, só meu, porque é só que me encontro. 

Sem comentários:

Enviar um comentário