segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Aroma

O aroma perpassou-lhe as narinas e despertou-lhe os sentidos. Como que sacudida de um sono tranquilo mergulhou numa espiral de recordações. As memórias, sempre elas, a arrastarem-na para um passado que ainda não conseguira deixar para trás. O olfacto convocou os demais sentidos e ela deixou-se levar. Esqueceu-se de onde estava e de tudo quanto a rodeava. Estava de novo no tempo e na história que quisera para sempre, pudesse ter mão no destino. Não foi a brisa que lhe arrepiou a pele. Foi a intensidade das recordações. Porque o Amor tem muitos aromas.

Sem comentários:

Enviar um comentário