quarta-feira, 25 de julho de 2018

Mar




Sentiu-o chamar por si. Esquecida do tempo e do lugar foi ao seu encontro. Encontrou-o sereno, pronto para a envolver e ouvir as suas confidências. Rendida, entregou-se sem resistência e quaisquer reservas. Sempre assim fora. Uma relação que perdura no tempo e que, ao invés de esmorecer, se torna cada vez mais forte. Ninguém mais lhe proporciona o mesmo bem-estar nem a mesma alegria. A ele vai buscar energia para combater as agruras da vida. Por vezes acha-se egoísta. Nem sempre dá na medida em que recebe, mas não sabe ser de outra forma. Ele está lá sempre para ela, seja para receber o seu sorriso ou beber as suas lágrimas. Ela chama-o de seu. Ele, o Mar, não é de ninguém.

Sem comentários:

Enviar um comentário