quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sei de um tempo...


Sei de um tempo em que a felicidade se construía com quase nada. Era um tempo em que existiam valores, se dizia por favor e obrigado e se cedia o lugar aos mais velhos. Era um tempo em que as pessoas se encontravam pelo prazer de estarem juntas e conversar e estavam disponíveis para ouvir e ajudar. Era um tempo em que as famílias se reuniam, partilhavam alegrias e se amparavam nos momentos menos bons. Era um tempo em que as crianças tinham tempo para brincar e, sobretudo, para ser crianças. Era um tempo em que as guloseimas eram verdadeiramente saboreadas. Era um tempo sem pressas, sem stress e depressões. Era um tempo em que, apesar de se ter tão pouco, se dava graças, porque o pouco era tanto.

Sem comentários:

Enviar um comentário