sexta-feira, 12 de outubro de 2012

De alma aberta

Reescreve o guião de uma história a que assistiu na vida real e na tela. Das promessas de amor eterno, da dedicação extrema à rotina que se instala, até à quase indiferença. Conhece de cor o final do filme, onde ela própria foi personagem. Julgava o seu coração adormecido, mas sentiu-o despertar qual flor a desabrochar sob o sol da Primavera. Ei-la de novo de alma aberta, numa alegria adolescente, pronta a desfrutar de fortes e intensas emoções. Com os pés no chão e a cabeça nas nuvens, ela entrega-se na esperança de um happy end.  

Sem comentários:

Enviar um comentário