segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

A paixão da rádio


Quem me conhece sabe que a rádio é a minha paixão e que mantenho a esperança de um dia voltar aos microfones. A rádio tem esse enorme poder de, pelo ouvido, transmitir sensações e emoções e agarrar o ouvinte. O relato de um jogo de futebol, em que a descrição de cada passe, e especialmente de cada jogada mais emotiva, faz vibrar o adepto fora do estádio, é um dos exemplos mais óbvios. E o que dizer das reportagens em que o som tem tanto ou mais poder que as palavras? Mais do que uma técnica saber usar o som é uma arte, mas saber usar as palavras também. Eu conheço um caso assim; um programa de rádio que tem essa particularidade de prender o ouvinte e de o transportar nessa viagem pelo mundo do imaginário. É, curiosamente, um programa sobre viagens que, embora não sendo produzido por nenhum jornalista, alcança esse desígnio de levar o ouvinte a percorrer sítios e lugares e a vivenciar as emoções dessa descoberta.

Sem comentários:

Enviar um comentário