terça-feira, 20 de abril de 2010

Paixão


Toda uma vida não chega para te amar.
As tuas palavras ecoam na minha cabeça, transportando-me para um outro tempo e um outro lugar. Abraçaste-me, então, num abraço tão apertado como se tivesses medo de me perder. Senti-te frágil, como frágil me sinto agora, aqui, perante este imenso Oceano.

Toda uma vida não chega para te amar.
Pego nas tuas palavras e repito-as em voz alta. Invade-me um turbilhão de emoções, sinto o coração a crescer dentro do peito e corro, como se fugisse da inevitabilidade do destino.

Toda uma vida não chega para te amar.
A cada vaivém, as ondas trazem-me a tua voz. Dou-me conta de que não adianta fugir e detenho-me. Ao sentir os pés afundar-se na areia percebo que estou presa no redemoinho da paixão.

Sem comentários:

Enviar um comentário